ACIGABC

Destaque

SECOVI-SP APRESENTA PROPOSTAS AOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA


01.10.2014



A ACIGABC (Associação dos Construtores, Imobiliárias e Administradoras do Grande ABC) é a representante do Secovi-SP no Grande ABC. Documento com os principais entraves enfrentados pela indústria imobiliária foi destacado na abertura da Convenção Secovi, realizada no fim de agosto

Na manhã do dia 27/8, no final da cerimônia de abertura da 11ª edição da Convenção Secovi, o presidente do Secovi-SP, Claudio Bernardes, anunciou que o Sindicato irá encaminhar às candidaturas à Presidência da República suas propostas para mitigar as dificuldades enfrentadas por toda a cadeia imobiliária.

Os setores de loteamentos, sustentabilidade, incorporação, produção de moradias de interesse social, comercialização de imóveis, locação residencial e comercial, empreendimentos turístico-imobiliários e administração imobiliária defrontam-se diariamente com a burocracia excessiva, a insegurança jurídica e um emaranhado complexo de leis, fatores estes que emperram a produtividade das empresas e impactam no nível de seus investimentos.

“Não podemos deixar de dar imediata atenção a questões como o indispensável respeito aos contratos e ao direito de propriedade; à manutenção da estabilidade econômica e social; à criação de condições de competitividade; e às reais garantias aos investidores, locais ou internacionais, pois é preciso voltar a confiar no Brasil”, disse Bernardes.

“Neste ano, decidimos elaborar um documento endereçado aos candidatos à Presidência da República. Nele, focalizamos de forma clara quais são os principais problemas enfrentados pelos segmentos que o Sindicato representa e cuja solução reside no âmbito federal. Com a contribuição de cada uma de nossas vice-presidências, selecionamos as questões mais preocupantes e apontamos as soluções”, completou o presidente do Secovi-SP.

Varejo – “Depois da saúde e do trabalho, o homem quer a casa própria para garantir sua dignidade”, disse Luiza Helena Trajano, presidente da Rede Magazine Luiza, na abertura da Convenção Secovi 2014. A empresária contou a trajetória de criação do IDV – Instituto para Desenvolvimento do Varejo, que reúne as principais empresas varejistas e que desenvolve pesquisas e índices do segmento. “O IDV surgiu da união de companhias concorrentes dispostas a mudar paradigmas.”

Ela defende essa mesma união na esfera política para que Saúde e Educação sejam transformadas no País. Porém, entende que há ideais partidários a serem cumpridos e que impedem essas mudanças. “Sem reforma política, temos de assumir o Brasil como nosso.”

A Rede Magazine Luiza registrou um crescimento de 23% no primeiro semestre deste ano por ter patrocinado a Copa do Mundo, e fechou 2013 com um faturamento de R$ 10 bilhões. “Não há gestão sem pessoas apaixonadas na cabeça, no coração e no bolso. Nossa empresa é a quinta melhor para se trabalhar e investimos em atendimento e inovação para surpreender o cliente”, enfatizou Luiza Trajano.

A empresária concluiu dizendo que o setor imobiliário e varejista são complementares, porque uma casa precisa de eletrônicos e eletrodomésticos. ‘Quanto mais vocês construírem, mais nós vamos vender.”

Tecnologia – Alessandro Leal, diretor de Negócios do Google Brasil, explicou que inovação é usar a tecnologia de maneira inteligente, e atendimento é entender de maneira inteligente o consumidor. “A tecnologia ajuda a transformar o mundo em um lugar melhor. Trinta por centro dos alimentos do mundo são polinizados por abelhas, que estão morrendo. Para suprir esse papel, foi criado um robô”, exemplificou.

O executivo lembrou que quem manda é o consumidor, que está no centro de tudo. Conforme pesquisa de 2013 realizada pela empresa Ipsos a pedido do Google, mais de 105 milhões de brasileiro estão conectados na Internet; ficam 3,7 horas conectados por dia; e 52 milhões usam smartphones. Na compra de imóveis, 60% buscam unidades na Internet antes de escolher o imóvel e a jornada do consumidor dura 13 meses. São realizadas 5,6 buscas antes de entrar em um site imobiliário; 5 sites são visitados; são feitas 4,1 visitas nos estandes; e o consumidor fica em dúvida entre 2,6 imóveis. “Vocês devem aproveitar esse funil favoravelmente”, finalizou.

Democracia - O cientista político Heni Ozi Cukier disse que as eleições de outubro são as mais incertas desde a redemocratização do Brasil. “As eleições são parte da democracia e nem é a mais importante, porque pode ser manipulada.”

Três fatores solidificam a democracia, conforme Cukier, e quebram a força de quem está no poder: o Executivo Federal, o Legislativo (Senado e Câmara) e o Judiciário. De acordo com sua análise, o regime democrático brasileiro está em perigo, porque o PT está com poder consolidado há 12 anos, a oposição é minoria e no Supremo Tribunal de Justiça dos 12 ministros nomeados, apenas três não foram escolhidos pelo Partido dos Trabalhadores. “Essa é uma situação indireta de fim da divisão de poder. E ter uma única visão dentro do poder é perigoso para democracia.”

Cukier falou ainda da liberdade de imprensa (o Brasil é o país ocidental onde mais jornalistas foram mortos em 2013), do Estado de Direito (as leis devem ser cumpridas de maneira justa e imparcial, sob o risco de se instalar a anarquia, com exercício do poder pelo mais forte), do Capitalismo de Estado, e do programa Bolsa Família. “A regularização do terreno ‘copa do povo’ é um grande risco à democracia”, disse.

O documento elaborado pelo setor imobiliário aos candidatos à Presidência da República foi entregue aos participantes no final do painel e a sua íntegra pode ser conferida no link: http://www.secovi.com.br/files/Downloads/proposta-secovi-2014pdf.pdf

últimos destaques

NEWSLETTER

Receba informações sobre os eventos e iniciativas da ACIGABC em seu e-mail. Cadastre-se abaixo.