ACIGABC

Notícias

OS REFLEXOS DA REFORMA TRABALHISTA NO RAMO IMOBILIÁRIO

17.01.2018












No mês de novembro de 2017 entrou em vigor as novas regras estabelecidas pela Reforma Trabalhista.  Entre as principais mudanças estão o parcelamento das férias, flexibilização da jornada, plano de cargos e salários, banco de horas, remuneração por produtividade e trabalho remoto.

Ao todo, foram alterados mais de 100 artigos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e criadas duas modalidades de contratação: o trabalho remoto (home office) e o trabalho por período (intermitente).

O presidente da República, Michel Temer, também editou a Medida Provisória 808/17, que altera os pontos da Reforma Trabalhista, Lei 13,467/17. As regras alteradas são relacionadas a gestantes, a trabalhadores autônomos, ao trabalho intermitente, à jornada de 12 horas com 36 horas de descanso e aos danos morais.

A reforma trabalhista promete flexibilizar as relações entre empregadores e empregados. Isso impulsionará o crescimento econômico do Brasil. E o mercado imobiliário tem uma grande importância para a economia brasileira, pois o setor é um dos principais responsáveis pelo aumento de empregos no país.

De acordo com estudo divulgado pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliária (Abrainc), a atividade de construção e incorporação imobiliária foi responsável pela geração de 1,9 milhão de empregos no período de 2010 e 2017.

A reforma é o início de um caminho de modernização das relações de trabalho entre empregadores e empregados. "Precisamos reverter um indicador cruel que ainda persiste, que é o do desemprego. Já vimos melhora nos juros, na taxa de confiança e no risco Brasil, por exemplo. Essa flexibilização da legislação trabalhista é essencial para que possamos voltar a gerar emprego e renda", declarou Flavio Amary, presidente do Sindicato da Habitação (SECOVI), durante evento na entidade.

As novas medidas da Reforma Trabalhista prometem impulsionar o crescimento econômico do Brasil e, com isso, acredita-se na retomada do mercado imobiliário. "Espero que com a reforma trabalhista, o mercado de trabalho volte a contratar e, com isso, o mercado imobiliário volte a movimentar mais", diz o contador da LisboaGobatti Contabilidade, Ricardo Gobatti Lisboa.

Com emprego, a população sente-se segura para comprar o seu próprio imóvel e até mesmo enfrentar um financiamento imobiliário. Ou seja, mais consumo, mais investimento e mais crescimento. E assim, é um ciclo virtuoso tanto para economia, quanto para o mercado imobiliário.

últimas notícias

NEWSLETTER

Receba informações sobre os eventos e iniciativas da ACIGABC em seu e-mail. Cadastre-se abaixo.